segunda-feira, 4 de novembro de 2013

 

Foi além das expectativas!

 

Juazeirinho encantou e surpreendeu a Benedito e João Redondo com as histórias e carisma de sua gente.

 
 

(Trechos do depoimento do Grupo Boca de Cena)

 

"Logo que descemos da van em solo Juazeirinhense fomos recepcionados por representantes da gestão pública municipal que nos desejaram as boas vindas. O clima era de festa pela nossa chegada e para os preparativos de comemoração do centenário da cidade. E nós da Cia Boca de Cena junto com Benedito e João Redondo chegamos para antecipar à população local que a festança ia ser boa."
 
"Começamos com seu Fernando Clemente, vaqueiro aboiador da cidade, passando pelo Pastoril com um grupo de senhoras simpaticíssimas, o trio de forró Filhos do Chamego, a Filarmônica de São José tocando frevo e arrastando as Virgens do Amém mais badaladas da cidade: Janaína e Pit Bicha, a Cia de Danças Populares de Juazeirinho com seu xaxado, Felipe de Oliveira – o sanfoneiro aprendiz e, por fim, aquela que iria naturalmente revigorar o cansaço da nossa equipe, Dona Luzia.
Deixamos o Centro Cultural Joana Gago (local de reunião para as gravações do documentário) e seguimos rumo à casa de dona Luzia Inácia da Conceição, agricultora aposentada com 94 anos de idade, muito fôlego de vida pra colocar homem pra correr, mas acima de toda lucidez e vigor físico, uma lenda viva e histórica da cidade."
 
"Descobrimos, ainda no dia anterior, que Juazeirinho, décadas atrás, era conhecida como a cidade da pipoca na Paraíba. E sabem o por quê? Existia um método artesanal de confeccionar a pipoca de milho característico da cidade, em nenhum outro lugar se fabricava ‘a pipoca na areia quente’.
E dona Luzia foi uma dessas pipoqueiras artesanais de Juazeirinho que pra aumentar a renda da família colocava sua panela de barro no fogo a lenha, jogava a areia fina, limpa e branca que vinha de fora, ao esquentar jogava o milho lá dentro e a temperatura fazia com que pipocassem os grãos, depois retirava a pipoca, peneirava e ensacava para vender na cidade vizinha e as margens da rodovia que corta Juazeirinho. E há quem diga que ninguém nunca mastigou um granulo de areia sequer dessa pipoca viu!"
 
 
"Pelo patrocínio do Governo do Estado da Paraíba através da Secretaria de Estado da Cultura, apoio cultural da Prefeitura Municipal de Juazeirinho e Rádio Juazeirinho FM, nosso muito obrigado de todos que compõem a Cia Boca de Cena (realizadora deste projeto) por proporcionar tamanha satisfação em descobrir a cultura popular pulsante de canto a canto no nosso Estado."

Nenhum comentário: