sexta-feira, 8 de março de 2013

Babau - Boneco popular da Paraíba


Há muito escutamos: Babau? Isso faz muito tempo que deixou de existir, ninguém que saber disso mais não!!

Não foi o que vimos e sentimos na cidade de Mari - PB no último final de semana onde os brincantes de babau (Mestre Miro e Hélio) participaram do projeto ‘Benedito e João Redondo pelas ruas da cidade’.

Hélio foi nossa maior surpresa! Em 2008 estivemos na cidade de Mari em prol da pesquisa para o registro do teatro de bonecos popular do Nordeste como patrimônio imaterial do Brasil, através do Iphan. Na época nos chegou a informação que o motorista da ambulância do município brincava babau e era um bom bonequeiro – foi daí que conhecemos o Hélio. Fomos à sua procura, porém o mesmo não quis participar da pesquisa e nos disse que só brincava para sua família. Apenas o Mestre Miro participou desse processo.

Como diz o moderno dito popular: “para nossa alegria” ele aceitou participar do projeto Benedito e João Redondo pelas ruas da cidade e sua brincadeira foi maravilhosa, rica em improvisação, diálogos, bonecos ágeis e bem manipulados - um show de babau! Ganhamos mais um brincante para continuação dessa arte em nosso Estado.

A cidade de Mari, que é conhecida como a terra do grande Mestre “Antonio do Babau” - representante ícone do babau da Paraíba, foi palco de um final de semana cheio de emoções. Mestre Miro, que ainda apresenta sequelas de um AVC, conseguiu realizar sua brincadeira e teve um público fantástico com cerca de aproximadamente 500 pessoas. Para nós realizadores desse projeto foi o incentivo que precisávamos em continuar firmes com nosso propósito, ou seja, trazer o teatro de bonecos de volta para as ruas e sensibilizar a sociedade e em especial os gestores públicos sobre a importância de se investir na cultura popular de suas cidades.

Mostramos através desse projeto, que o Babau é uma arte viva e que pessoas de todas as idades e condições sociais gostam do teatro de bonecos e são capazes de sair de suas casas, deixar seus televisores de 39 polegadas, sua internet e seus shows de forró para verem esse teatro.

Como antigamente, as pessoas foram à missa e logo após assistiram e participaram de uma noite de babau. A participação foi tão intensa, que em uma das passagens do boneco Benedito, uma pessoa da plateia foi até a empanada e deu dinheiro ao personagem, para matar outra figura (outro personagem), ação tradicionalmente comum, mas muito rara de se ver nos dias atuais.

E viva o Babau!!!!

Babau do Mestre Hélio

Alegria da criançada na platéia

Benedito recebendo dinheiro

Mestre Miro cantando coco de roda


Cia Boca de Cena - Paraíba

Nenhum comentário: