quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Exposição de mamulengos ficará em cartaz, no Rio de Janeiro, até novembro


Os tradicionais bonecos da cultura popular brasileira conhecidos como mamulengos estarão na exposição “A música é que chama os espíritos dos bonecos”, que foi inaugurada no início de outubro (4), no Rio de Janeiro. 

Os bonecos ficarão expostos até novembro na Sala do Artista Popular do Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular, instituição sob responsabilidade do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), vinculado ao Ministério da Cultura. 

A exposição reunirá mamulengos produzidos pelos moradores de Glória de Goitá, Zona da Mata, norte de Pernambuco. A região é considerada berço do mamulengo, por ser a terra natal dos mestres bonequeiros Zé de Vina e Zé Lopes. Eles passaram seus ensinamentos aos mais jovens e mantiveram a tradição local viva, formando meninos e meninas que se auto-intitulam Nova Geração. Neste grupo há os mamulengueiros, que são os que brincam, e os bonequeiros, os que dominam a arte de confecção dos bonecos. 

Os trabalhos dos artesãos de Glória de Goitá também estarão à venda durante a exposição, que ficará aberta ao público de terça a sexta-feira , das 11 às 18h, e aos sábados, domingos e feriados, das 15h às 18h. O Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular fica na Rua do Catete, 179 – Catete – Rio de Janeiro. 

A brincadeira do mamulengo 

Os bonecos ganham vida ao serem manipulados pelos mamulengueiros ou folgazões, que emprestam suas vozes aos mamulengos em apresentações de enredos ou em execuções musicais, conhecidas como “glosas de aguardente”. São encenadas situações cotidianas da Zona da Mata, com figuras simbólicas regionais. 

Os tocadores e um brincador com o rosto pintado com farinha branca, chamado Matheus, vão à frente dos bonecos. O personagem do Matheus trabalha como um interlocutor entre os mamulengos e o público, respondendo aos bonecos e fazendo brincadeiras. 

Nenhum comentário: