domingo, 11 de setembro de 2011

Aos Associados da ABTB/UNIMA BRASIL

Caros associados:

Depois de cumprido o prazo para inscrição de candidatos nacionais do Centro Unima Brasil (25/8/11) para concorrer as vagas de pré candidato ao Comitê Executivo da Unima em 2012, divulgamos o seguinte resultado.

Inscritos do Brasil: Susanita Freire

Obs - Como do Brasil só houve confirmação de inscrição de apenas uma bonequeira, e tínhamos direito a três, não há necessidade de realizarmos eleições para nomes nacionais. Pelo regulamento da Unima, um Centro Nacional pode indicar pessoas de outros países desde que estejam dentro do quadro de associados da UNIMA, quites com suas obrigações e que sejam atuantes em seus Centros Nacionais.

Para termos força dentro do Congresso na China em 2012 e possamos pelo menos manter uma representante brasileira no Comitê Executivo podemos/devemos compor com nomes que tradicionalmente vem nos apoiando principalmente em termos de aprovação de bolsas para bonequeiros brasileiros e latino americanos. E é lógico que queremos um Comitê Executivo da UNIMA que dê maior apoio aos países da América Latina.

Os nomes de outros países que completam nossa lista são:


Ana Maria Allendes - Chile

Miguel Arreche - Espanha

Por termos mais de 100 associados na ABTB/ Unima Brasil, temos direito a apresentar três candidatos.

Sendo assim os indicados são:

Susanita Freire - Brasil – Membro do Comitê Executivo e Presidenta da Comissão para América Latina da UNIMA

Ana Maria Allendes – Chile - Membro do Comitê Executivo e da diretiva da Unima Chile

Miguel Arreche – Espanha – Diretor do TOPIc de Tolosa, Espanha.

Grato pela atenção

Renato Perré e diretoria da ABTB/ UNIMA BRASIL

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Diretório Mundial de Festivais

Organizadores de Festivais e Mostras de Teatro de Bonecos no Brasil

A Comissão de Festivais Internacionais da Unima, está organizando um Diretório Mundial de Festivais, que será publicado para o próximo Congresso Unima, na China, no 2012.
Desde Julho, tem circulado o formulário em anexo, porem nenhum organizador de Festival no Brasil enviou informações.

Envio novamente, quiçá agora alguém fique interessado em participar e ter seu Festival divulgado mundialmente.

SOLICITE o formulário para Susanita susanita@uol.com.br  e ENVIE preenchido para: maria@cittolosa.com

Abraço
Susanita Freire
CAL/ Unima
----------------------------------------------------------------------------------------------

UNIMA - Comisión de Festivales Internacionales
Julio 2011
A todos los Centros Nacionales de UNIMA,
A todos los Consejeros de UNIMA,
A todos los Directores de Festivales de Marionetas,
Asunto: Directorio de Festivales de Marionetas UNIMA
Estimados colegas,
La Comisión de Festivales Internacionales de la UNIMA celebrará su 12 aniversario en 2012. Para subrayar este evento estamos pensando en publicar una nueva edición del Directorio UNIMA de Festivales de Marionetas. Este Directorio se distribuirá durante el XXI Congreso de UNIMA en Chengdu in mayo 2012. También estará disponible on line y será actualizado regularmente.
Para conseguir que este Directorio impreso y virtual sean lo más exactos posible, os pedimos ayuda, bien validando los datos que ya están disponibles en la página web de UNIMA, bien reuniendo otros nuevos.
A este respecto, ¿podríais visitar, por favor, la siguiente página http://www.unima.org/uniF15.htm, verificar la información que concierne a tu evento o tu país y hacer los cambios apropiados rellenando el formulario en blanco adjunto? El Centro TOPIC, en Tolosa, se encargará, generosamente, de la recogida, corrección y actualización de los datos.
Por favor, no dudéis en notificar a los directores de los nuevos festivales de marionetas la existencia del Directorio de UNIMA y en animarles a unirse y rellenar también el formulario en blanco.
FECHA LIMITE PARA MANDAR LOS FORMULARIOS COMPLETOS: 1 DE OCTUBRE 2011
(Los registros recibidos después de esta fecha no serán incluidos en el Directorio impreso).
Por favor, mandad los formularios rellenados a: maria@cittolosa.com
Os agradecemos vuestra preciosa colaboración y estamos a vuestra disposición para mayor información.
Saludos cordiales,
Stanislav Doubrava,
Presidente de la Comisión UNIMA de Festivales Internacionales
Miembros: Miguel Arreche (España), Anne-Françoise Cabanis (Francia), Annette Dabs (Alemania), Jean Kaplan (Francia), Louise Lapointe (Canada), Philip Mitchell (Australia), Robert Waltl (Eslovenia).
Corresponsables: Phylemon Odhiambo Okoth (Kenia), Simon Wong (China), Janni Younge (Sur Africa

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Carta do MOBILIZA CULTURA !

04 de setembro de 2011

PAÍS RICO É PAÍS COM CULTURA!

Carta Aberta da Sociedade Civil sobre a Crise do MinC

PAÍS RICO É PAÍS COM CULTURA!  
Brasília , 3 de setembro de 2011

O povo brasileiro tomou nas urnas a decisão de construir um país rico, soberano e democrático.

A cultura do Brasil, seus produtores e agentes em sua mais rica diversidade, se engajou desde o começo do governo Lula no projeto de universalização do conhecimento, do acesso à produção de bens culturais e na distribuição do poder simbólico, econômico e político. Em outras palavras: construir agora o Brasil do futuro, apostando no desenvolvimento e na inclusão, contando com a “inteligência popular brasileira” e a imaginação dos povos dos Brasis.
Por isso, durante os dois governos Lula, a sociedade civil organizada, os coletivos e redes, produtores e agentes estabeleceram uma inédita e saudável relação com o governo no sentido de construir um projeto de cultura para o Estado Brasileiro. A herança maior das duas últimas gestões à frente do MinC é a constituição de uma rede imensa e capilar que vai dos mestres da cultura popular aos hackers.
Durante o governo Lula estas redes não foram apenas atendidas pelas políticas públicas, senão que tornaram-se os sujeitos do processo, fazedores de cultura e de país. Tal legado é patrimônio de todos aqueles que lutaram pelo projeto de nação encabeçado por Dilma Rouseff.
A Crise Estrutural do MinC
Passados 8 meses de governo, segue a crise do MinC, cujo último episódio foi a saída da Secretária de Cidadania e Diversidade Cultural, e as ameaças de novas demissões e desentendimentos.
A sociedade civil organizada, produtores e agentes culturais, parlamentares, ativistas de dentro e de fora do campo cultural, entendem que esta é a hora de uma correção de rumo  no Ministério da Cultura.
É necessário uma repactuação com os movimentos culturais que construíram e deram apoio à política pública de cultura gestada no governo Lula e sua continuidade, avanço e ampliação no governo que elegemos. Não podemos mais aceitar que as conquistas e avanços da sociedade brasileira no campo cultural, chanceladas pela sociedade civil e pelo Estado e tornadas públicas no Plano Nacional de Cultura continuem a ser desrespeitadas e ignoradas.
País rico é país com democracia participativa e por isso não podemos aceitar o rompimento do diálogo construído com os movimentos e agentes em gestão compartilhada nos 8 anos do governo Lula.  Estes mesmos avanços nos últimos 8 meses do governo Dilma  Roussef sofreram retrocessos ou estão paralisados, diante da crise de legitimidade e confiança na qual se vê submerso o MinC.
Os movimentos  culturais organizados estão buscando há 8 meses a retomada da experiência de co-gestão e participação da sociedade civil nos rumos da Cultura.
Todos os esforços estão sendo feitos para essa repactuação, por isso reivindicamos que as novas mudanças sejam debatidas e consultadas de forma franca e ampla junto aos movimentos culturais que estiveram durante esses últimos meses e nestes 3 dias de agosto e inicio de setembro reunidos em Brasília, em diálogo direto com todas as Secretarias do Ministério da Cultura (com exceção da Secretaria de Cidadania e Diversidade Cultural, demissionária).

Destacamos os pontos fundamentais defendidos por diferentes movimentos, que vem sendo debatidos desde a primeira crise do MinC:

- A implementação do Plano Nacional de Cultura aprovado pelo governo Lula;
- A aprovação da PEC 150 e do Procultura como enviados para o Congresso;
- A publicização do texto final da Reforma da Lei dos Direitos Autorais e seu envio ao Congresso, mantendo-se os avanços propostos pela sociedade em consulta pública; entre eles a fiscalização de instituições como o ECAD (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição), e a criação de Instituto ou Agência Reguladora na área de direitos autorais, estímulo a produção de conteúdos culturais, educacionais abertos, descriminzalização da cópia e o estímulo ao uso de licenças flexíveis, como o Creative Commons;
- A defesa do Programa Cultura Viva, a manutenção dos 3 mil Pontos e Pontões de Cultura e suas ações. O pagamento de todos os Editais, pagamento das Bolsas de Incentivo Griô, Renovações dos convênios de Pontos e Pontões, a manutenção e expansão da Rede dos Pontos de Cultura, a contemplação de novas redes e a definição de um novo marco legal;
- Retomada do protagonismo nacional e internacional em Cultura Digital, conquistado pelo MinC, no governo Lula;
- Retomada dos programas de Diversidade Cultural, abandonados nesta gestão;
-  Aprovação da Lei Cultura Viva, Aprovação da Lei dos Mestres e Lei Griô;
- A Revisão da proposta orçamentária para o Minc em avaliação no Congresso Nacional, que canaliza grande parte das verbas da cultura para obras e infra-estrutura, inviabilizando as demais ações do Programa Cultura Viva (rede dos Pontos de Cultura, Ação Cultura Digital, etc.) de forma desproporcional e assimétrica;
- Defendemos também o maior diálogo do Ministério da Cultura, com nossa participação, em  ações transversais com os demais ministérios, particularmente com o MEC, Ministério das Comunicações, Ministério da Ciência e Tecnologia, Ministério do Trabalho e em ações como a do Plano Nacional de Banda Larga.

O MinC somos nós e  nosso compromisso é com o viável e com o possível.

Por tudo isso, solicitamos à Presidenta Dilma Roussef, aos parlamentares, ativistas, sociedade civil e movimentos culturais e sociais que juntos possamos estancar as crises sucessivas no Ministério da Cultura, para repactuarmos o compromisso assumido entre o Estado brasileiro, os movimentos culturais e a sociedade civil de um projeto de continuidade, inovação e avanços na cultura brasileira que esteja à altura do papel que o Brasil assumiu como protagonista e referência na cena global em termos de políticas culturais inovadoras.
É preciso que nos unamos ao redor de um projeto no qual a cultura seja convocada de fato a cumprir sua vocação de inventora de futuro, desenvolvimento, soberania, sustentabilidade, democracia e inclusão social. É preciso confiança na Cultura Brasileira!
Obrigado.


Para assinar entre no site:
http://www.mobilizacultura.org/2011/09/04/pais-rico-e-pais-com-cultura